Edgar Morin: um pensador reconhecido pela Universidade de Santiago do Chile

postado em: Home | 0

Sua importante contribuição para a ciência, política, artes e espiritualidade será reconhecida pela Universidade de Santiago do Chile , concedendo-lhe, na próxima sexta-feira 13, às 10h, na sala Isaac Newton do Planetário, o mais alto reconhecimento desta Casa do Estudos: Doutorado Honoris Causa e Medalha da Universidade de Santiago do Chile em sua categoria Ouro.

*Na foto, Edgar Morin junto com Decana da Faculdade Silvia Ferrada

Seus méritos são muitos. Aos 19 anos, caracterizado por um espírito diligente, irreverente e audacioso, iniciou os seus estudos universitários, pois, segundo ele, o seu interesse era mais elevado do que a carreira, antes movido pela leitura, pelo cinema, pela música e pela observação da natureza e a sociedade. Por isso, entrou na Sorbonne, no momento em que a França foi invadida pelo exército alemão.

Devido aos problemas que afetam os parisienses, refugia-se em Toulouse, onde se dedica às atividades assistenciais como secretário da Associação de Estudantes Refugiados. Durante esse período, ele estudou intensamente, o que lhe permitiu se formar em 1942 em História, Geografia e Direito na Sorbonne.

Ele era um membro determinado das fileiras do Partido Comunista Francês. Seu espírito crítico e capacidade de reflexão o levam a discordar sobre questões essenciais que o levam a denunciar os desvios e excessos do stalinismo soviético e da revolução chinesa, entre outros. Suas perguntas são aprovadas, sendo expulso de seu partido. Apesar disso, ele continua participando individualmente de causas políticas e sociais que pareciam justas para ele.

Edgar Morin é um pensador multidisciplinar. Ele é conhecido principalmente como sociólogo e epistemólogo. É considerado um dos poucos grandes pensadores do século XX, surgindo como um pioneiro nos estudos sobre complexidade. Na década de 1960, passa a dar pistas para o que poderia ser chamado de ‘segunda cibernética’, que possibilita a análise dos sistemas autopoiéticos, ou seja, das organizações entre e pelos seres vivos.

Seu trabalho permite uma síntese mestre de todos os novos desenvolvimentos em teoria de sistemas, teoria da informação, cibernética, reformulando o método da complexidade onde as contribuições de Prigogine, Von Foerster, Henri Atlan, Maturana, Varela e um longo e assim por diante. Este trabalho é uma grande contribuição para a Universidade: pelo seu projeto transdisciplinar, pela sua proposta da indissociabilidade dos aspectos físico / biológico / social dos fenômenos.

Por outro lado, a obra de Edgar Morin também é muito relevante pelo seu atual interesse em reformar o sistema educacional. Devido ao prestígio multidisciplinar de que goza, o governo francês o encarregou de reformar o sistema educacional na França. Suas propostas foram refletidas em livros como ‘A cabeça bem feita’ ou ‘Os sete saberes necessários para a educação do futuro’.

A vida, o trabalho e a missão do professor francês Edgar Morin são um exemplo vivo e um farol para as gerações de jovens de todo o mundo que procuram causas nobres, justas e viáveis ​​que identifiquem o homem com o homem, através da compreensão humana e da ética. Que identificam o homem com sua origem, com a natureza; que lhe permitam, como Morin apontou em entrevista ao jornal Le Monde, se sentir parte de uma visão planetária, um cidadão universal, um habitante da Pátria.

Edição: Universia / RR

Link original: https://www.universia.net/cl/actualidad/actualidad.orientacion-academica.edgar-morin-pensador-reconocido-universidad-santiago-chile-309417.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *